"Amei as palavras e as odiei. Espero ter usado-as direito." - Liesel Meminger
" A saudade não mata porque tem o poder de torturar!"

terça-feira, 4 de agosto de 2009

O extremo

Descobri que sou extremamente inútil quando estou de férias. E descobri que odeio me sentir normal. Minha auto-estima estabiliza, minha criatividade desaparece, meus textos não ganham inspiração, não encontro ideias, e mesmo que as encontre se não anoto elas somem da minha cabeça na mesma velocidade que apareceram. Como diz a Bia: "Quanto menos agente faz, menos quer fazer!"
Estou em casa já faz algumas semanas, saio, mas nada de excepcional, o bastante para me livrar do tédio e voltar para casa e fico fazendo NADA mais alguns dias.
O dia a dia é uma droga sem nada novo, um guri lindo, um amigo novo, um acontecimento interessante, um amor para chorar, sofrer e imaginar. - tudo pode se tornar em um texto - Mas quando vivemos em uma linha reta, tudo tão normal, não extremamente feliz, mas também não triste... É uma chatice!
Por isso que odeio tudo que fique no "meio termo": a indecisão, a dúvida, o em cima do muro, os que lá estão. Entro em tudo quanto é coisa, e assim busco a perfeição.
Só as pessoas que vivem com exageros passam por todas as emoções, quem vive no meio termo não sofre, mas também não vive a felicidade extrema.

2 comentários:

  1. Extremamente inútil quando esta de férias???Errado,extremamente importante pois mesmo distante tem o poder de me fazer feliz,pois a distancia não mudara o fato de estar no meu coração e isso fará com que você nunca se torne uma inútil,obrigado por existir.
    Bjus

    ResponderExcluir